Petrobras e BNDES apresentam:

Comissão de Seleção

PROGRAMAÇÃO DIÁRIA

16/17/18
19/20/21
22/23/SETEMBRO
LONGA-METRAGEM
  • Alexandre Cunha +
    É jornalista – com MBA em Gestão Empresarial – e escritor de contos. Trabalha na Globosat há 22 anos - os 15 últimos no Canal Brasil -, com passagens pelos canais GNT e Universal. Atualmente, é responsável pelas áreas de Programação, Aquisição de Conteúdo e Logística do Canal Brasil. Em 2004, foi premiado no 1º Concurso Contos do Rio, organizado pelo Jornal O Globo e pela Academia Brasileira de Letras. No mesmo ano, publicou seu 1º trabalho: "Pracinha Xavier", parte integrante do livro "Contos do Rio", da Editora Bom Texto. Na Internet, criou e administra o blog Tipo Escrito (www.tipoescrito.blogspot.com).
  • Daniela Capelato +

    Pesquisadora, roteirista, produtora e cineasta Daniela Capelato nasceu em São Paulo (SP), em 1969. Formou-se em Comunicação, além de estudar durante o ano de 1988 do Institut National de L’Audiovisuel, na França. Entre 1997 e 2001 foi gerente do Núcleo de Cinema e Vídeo do Itaú Cultural. Após esse período fundou a empresa Doc.Filmes, produtora especializada em filmes de ficção e documentário. Foi consultora criativa do longa-metragem Petra, vencedor do prêmio do Júri Popular no Festival de Brasília. Como produtora, trabalhou nos filmes Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo, de Karim Ainouz; Do Outro Lado do Rio, de Lucas Bambozzi; Só Deus Sabe, de Carlos Bolado; além da série Caminhos, exibida no SescTV. Foi roteirista dos filmes Do Outro Lado do Rio; Brasil na Virada do Milênio, com Marcelo Gomes; Antes de Ontem, Depois de Amanhã, de Chris Liu; e do curta-metragem Viva Volta, de Heloisa Passos. Coordena um curso sobre documentários na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo, onde ainda mora.
  • Erika Bauer +
    Graduada em Cinema e Televisão pela Escola Superior de Cinema e Televisão de Munique, Alemanha (1994). É documentarista e professora na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Realizou os curtas: Bom Dia Senhoras! (1998), Maxacali, O Povo do Canto (1996) e os longas: Dom Helder – O santo rebelde, que ganhou vários prêmios no Brasil, entre eles a Margarida de Prata de Melhor Documentário – CNBB, Melhor Roteiro e Melhor Edição no Cine Ceará, Melhor Filme no Festival de Varginha e Melhor Pesquisa no RECINE – Festival Internacional de Cinema de Arquivo do Rio de Janeiro e E A Terra se Fez Verbo em que apresenta a região da Prelazia de São Felix do Araguaia, no Mato Grosso, e sua história de luta e resistência contra todo tipo de opressão. Seu principal personagem, Dom Pedro Casaldáliga, é retratado a partir dos depoimentos e histórias contadas por posseiros, índios e peões que atuaram e atuam em defesa de sua permanência na terra.
  • Helena Ignêz +
    Figura de destaque da cultura brasileira, a atriz participou de filmes como “O Bandido da Luz Vermelha” (Rogério Sganzerla), “O Pátio”, (Glauber Rocha) e “O Padre e A Moça” (Joaquim Pedro de Andrade). Integrou inúmeros movimentos de vanguarda com intensa participação na obra cinematográfica de Rogério Sganzerla. É uma das fundadoras da produtora Belair ao lado de Julio Bressane e Rogério Sganzerla. Foi homenageada em 2006 pelo 20º Festival de Films de Fribourg, Suíça que exibiu 36 filmes com sua participação.
    Em 2008 lança seu primeiro longa-metragem como diretora “Canção de Baal”, que estreou no 9º Festival do Rio e ganhou Melhor Longa Metragem Brasileiro e Direção de Arte pelo Júri da critica no 37º Festival de Cinema de Gramado.
    Em 2009 produziu e dirigiu o longa-metragem “Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha”, roteiro deixado por Rogério Sganzerla. O filme estreou internacionalmente em 2010 no 63º Festival de Cinema de Locarno, Suíça em Competição Oficial onde recebeu o Prêmio da Crítica Boccalino D’Ouro como Melhor Filme. Em 2011 participou do 8º Amazonas Film Festival como Júri da Mostra Competitiva de Curtas-metragens Brasileiros. Em 2012 participou do 41º International Film Festival Rotterdam como Tiger Jury Award e em dezembro do mesmo ano recebeu uma homenagem do 17º Internacional Film Festival of Kerala, com a exibição de filmes que atuou ou dirigiu. No ano de 2013 Helena Ignez foi membro do júri da Première Brasil do Festival do Rio. Neste ano o média metragem de Helena Ignez “Poder dos Afetos” foi convidado para o integrar o 67 Festival de Cinema de Locarno juntamente com o “Copacabana Mon Amour”, de Rogério Sganzerla em versão restaurada.
  • Marcelo Ikeda +
    Professor do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará (UFC), Mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Trabalhou na Agência Nacional do Cinema (ANCINE) entre 2002 e 2010, como Assessor da Diretoria e Coordenador das Superintendências de Desenvolvimento Financeiro (SDF) e de Acompanhamento de Mercado (SAM). Ministrou cursos e palestras sobre Leis de Incentivo e Economia do Audiovisual em diversos cursos, autor dos livros: Lei da ANCINE, ed. WSET, e Leis de Incentivo para o Audiovisual, ed. WSET. Diretor e Roteirista de diversos curtas-metragens, entre eles: O Posto (2005), É hoje (2007), Eu te amo (2007), Carta de um jovem suicida (2008). Publicou o livro Cinecasulofilia, ed. Substânsia, 2014), coletânea de críticas de cinema. Curador da Mostra do Filme Livre (CCBB/RJ) desde 2003. Desenvolve também pesquisa sobre os novos modos de produção do cinema contemporâneo independente brasileiro. Crítico de Cinema, mantém o blog www.cinecasulofilia.blogspot.com desde 2004.
CURTA-METRAGEM
  • André Leão +
    Formado em Comunicação Social e em Produção Cinematográfica na Escuela Internacional de Cine y TV de San Antoniode los Baños – EICTV, em Cuba, uma das instituições acadêmicas mais importantes do mundo cinematográfico. Em Cuba produziu sete curtas-metragens de ficção e cinco documentários que foram exibidos em mais de 150 festivais de cinema, realizados em mais de 40 países. Juntos eles obtiveram mais de 50 prêmios internacionais. Em duas ocasiões e por mais de três anos, trabalhou como coordenador acadêmico dos alunos e professores que fazem parte dos dois anos de curso regular, organizando o projeto docente do Departamento de Documentários da EICTV. Atua como diretor e produtor executivo de projetos audiovisuais autorais, assim como consultor de elaboração de projetos audiovisuais. Foi vice-presidente da Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo – ABCV. É representante da sociedade civil no Colegiado Setorial do Audiovisual da Secretaria de Cultura do DF e no Conselho de Cultura do DF, como titular da área de cinema. Atualmente exerce a função de presidente da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas-metragistas – ABD Nacional, única entidade da classe presente em todos os estados brasileiros, da qual também foi Diretor de Pesquisa e Projetos. Desde 2012 é membro suplente do Comitê Consultivo da SAv/MinC, na representação dos diretores e produtores de filmes de curta-metragem.
  • Carla Osório +
    Fotógrafa, Mestre em Comunicação Social, Mídia e Cultura, Carla Osório atua como curadora e produtora executiva de filmes, mostras e festivais no Brasil e no exterior. Tem uma forte atuação junto a várias entidades do movimento audiovisual brasileiro. É responsável pela produção executiva e curadoria de oito edições da Mostra Produção Independente, promovida pela Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas metragistas (ABD&C/ES). Carla também foi consultora da UNESCO no Brasil em programas culturais, de setembro de 2010 a abril de 2013. Atualmente é sócia da Distribuidora Livres Filmes.
  • Frederico Cardoso +
    Fundador e primeiro presidente da Cooperativa de Cinema Fora do Eixo (1998-2006), dirigiu mais 16 curtas, em vários suportes e um longa metragem, lançado em circuito cineclubista em 2003. Curador e diretor das três primeiras edições da Mostra Rio das Ostras de Cinema (2004/06/08), fundador de 03 cineclubes: Sala da Cultura do Cinema, Cinema na Alma e Cineclube Beco do Rato. Um dos criadores do Cinemaneiro - oficinas de realização cinematográfica em suporte digital em favelas cariocas por onde passaram mais de 2.000 jovens e através do qual foram formados 15 coletivos audiovisuais, entre eles: Cidadela - Arte, Cultura e Cidadania. Diretor (1998), secretário (2004), tesoureiro (2005) e presidente (2006 e 2013) da ABDeCRJ - (Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas - Seção Rio de Janeiro), é diretor da ABD Nacional (mandato 2013), coordenou o Cine Mais Cultura, uma das principais ações do Programa Mais Cultura, realizado pela parceria SAv-MinC / CTAv / Cinemateca Brasileira no qual acompanhou a implantação de 1042 cineclubes e diversas ações em rede. Hoje é codiretor da série ficcional de TV “Meus Dias de Rock”, a ser veiculada no Canal Brasil e prepara seu próximo longa ficcional e as próximas Oficinas Cinemaneiro, que em 2014 acontecerão no Complexo da Maré- RJ. Entre suas principais realizações estão o longa: Jogo da Velha (2002) e os curtas: O Resgate, (1997); Letargia, (1998); Resumo (1998); Adega Perdida, (2006); Áspero – Episódio II, (2006); Zona do Agrião, (2007) e Sustentarte, (2013).
  • Guilherme Whitaker +
    Produtor de audiovisual. Criador do site Curta o Curta, da Mostra do Filme Livre, da Feira Audiovisual do Rio. Curador e produtor de eventos de cinema e vídeo como: "Curta no Almoço" , "Cinema Seco", "Cinema em Carne Viva" - David Cronenberg, “A imagem e o incômodo – o cinema de Michael Haneke”, Exposição “foto-celular”, Exposição “A Pintura em Pânico”. Produziu mais de 40 curtas, sendo diretor de 8. Como roteirista e diretor, destacam-se os seguintes filmes: vi-vendo, 2013; A Re-volta do Rei João, 2006; 1986, 1986/2005; Nozes, Super8,2004; Não é não, 2001. Como produtor, ajudou na realização de mais 40 curtas, como: O Paradoxo da Espera do Ônibus, de Christian Caselli; O Filme que Nunca Existiu, de Sérgio Valério; O Ovo colorido, direção coletivo Castanho, de Eduardo Valente; Triângulo, de Robson Lopes Nakombi, de Marco Nascimento Bemvindo, de Raphael Calvo A Re-volta do Rei João, de Guiwhi Santos Baiestorf: Filmes de Sangueira e Mulher Pelada, de Christian Caselli Vendo o Brasil, direção coletiva Um Dia, o caos, de Delano Valentim e Fabiano Mixo O Golpe Alien, de Gilberto Lopes e Barbara Nunes Autoconhecimento, de Christian Caselli Automusic, de Christian Caselli.
  • Indaiá Freire +
    Jornalista, mestre em literatura e cinema, produtora de audiovisual, Indaiá Freire tem ampla experiência na área artística com predomínio no audiovisual e coordenação de eventos. Atuou na produção de filmes de curta duração e trabalha em emissora de TV Pública há 20 anos. É membro da Comissão Nacional de Incentivo à Cultura – CNIC, órgão colegiado de assessoramento do Ministério da Cultura na aprovação dos projetos culturais submetidos á capacitação via renúncia fiscal da lei Rouanet.
Tag3 - Desenvolvimento Digital