BAILE PERFUMADO

Filme de Encerramento /
Longa-metragem

ficção

BAILE PERFUMADO

VOLTAR
EXIBIÇÕES
27/9 . terça-feira
19h, Cine Brasília, para convidados
Solenidade de premiação
REPRISE
28/9 . quarta-feira
15h, Cine Cultura Liberty Mall,
entrada franca

Direção Paulo Caldas e Lírio Ferreira
ficção, 93min, 1996, PE
classificação indicativa 16 anos

Elenco  Duda Mamberti, Luís Carlos Vasconcelos, Aramis Trindade, Chico Diaz, Jofre Soares, Cláudio Mamberti e Giovanna Gold

SINOPSE

A história do jovem e inquieto libanês Benjamim Abrahão que, com apurado faro de comerciante, sai de sua terra, cruza o Atlântico, estabelecendo-se em Recife no final da primeira década do século 20. Como mascate ganha o sertão, chegando a Juazeiro do Norte, onde se torna o homem de confiança do Padre Cícero Romão Batista. Encarrega-se de intensificar o comércio religioso, no rastro da fama do padre. A partir de 1929, quando conhece Virgulino Ferreira, o Lampião, começa um relacionamento marcado pela emoção de registrar a vida no cangaço.

DIREÇÃO

PAULO CALDAS
diretor e roteirista de cinema, publicidade e conteúdo para televisão. Dirigiu seu primeiro filme, Baile Perfumado, em 1996. O filme ganhou naquele ano o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, como Melhor Filme do Júri e da Crítica, e tornou um marco na “retomada do cinema brasileiro”, participando de diversos festivais internacionais. Realizou também os filmes O Rap do Pequeno Príncipe contra os Almas Sebosas (2000); o documentário para televisão, exibido no Canal GNT, Sons da Bahia e o DVD Quintal do Semba; foi um dos roteiristas do filme Cinema, Aspirinas e Urubus e dirigiu ainda Deserto Feliz (2007) e País do Desejo (2011). Em finalização, o documentário Saudade, que se desdobra em uma série de oito episódios de 50min para o canal Arte 1. Entre seus próximos projetos estão o filme Sertão Mar, em pré-produção; o longa SOL-Veredas da Solidão, em fase de desenvolvimento e ainda a série Terroir Brasil – Comida é Arte.


LÍRIO FERREIRA
nasceu em Recife em 1965. Graduado em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, exerceu a assistência de direção tanto dos primeiros curtas de Paulo Caldas quanto de Cláudio Assis. Realiza em 1992 o seu primeiro curta-metragem em película O Crime da Imagem. Em 1994, se junta a Amin Stepple Hiluey e realiza o curta That’s a Lero-Lero, sobre a passagem do cineasta Orson Welles por Recife, premiado nos Festivais de Brasília e Gramado. Em 1996, em codireção com Paulo Caldas, apresenta Baile Perfumado, primeiro longa-metragem realizado em Pernambuco depois de vinte anos, prêmio de melhor filme no Festival de Brasília. Lírio Ferreira realiza em 2005 o filme Árido Movie, selecionado para o Festival de Veneza na Mostra Orizzonti daquele ano. Junto com Hilton Lacerda, lança em 2007 Cartola, um documentário sobre o compositor carioca. Dirige em 2008 outro documentário musical chamado O Homem que Engarrafava Nuvens. O filme foi escolhido o melhor documentário de 2010 pela Academia Brasileira de Cinema. Dirige o seu quinto longa-metragem, Sangue Azul, o filme, inteiramente rodado na ilha de Fernando de Noronha, foi selecionado em 2015 para abrir a prestigiosa Mostra Panorama do Festival de Berlim. 

CRÉDITOS

Roteiro Hilton Lacerda, Paulo Caldas e Lírio Ferreira
Fotografia Paulo Jacinto dos Reis (Feijão)
Direção de arte Adão Pinheiro
Montagem Vânia Debs
Trilha sonora Chico Science, Fred 04, Sérgio Siba Veloso e Lúcio Maia e Paulo Rafael
Som Valéria Ferro e Renato Calaça
Produção Germano Coelho, Marcelo Pinheiro, Lírio Ferreira, Paulo Caldas e Aramis Trindade 
Direção de produção Claudio Assis
Produtora Saci Filmes

Tag3 - Desenvolvimento Digital